Páginas

Ateliê: construindo modelos do corpo humano

Nos ateliês, os bolsistas PIBID/UNIVASF desenvolvem atividades alternativas que auxiliam os estudantes na aprendizagem dos conteúdos de Ciências Naturais. Em um deles, foram construídos modelos dos sistemas respiratório e urinário utilizando-se de materiais simples e de fácil aquisição. Para a atividade são necessários:
  • Garrafas pet transparentes de 1L vazias e sem rótulo;
  • Balões de borracha (de aniversário);
  • Massa de modelar;
  • Canudos de refresco azuis, vermelhos e amarelos;
  • Folhas de EVA rosa.
O modelo de sistema respiratório é montado como mostra as fotos abaixo:
100413_120623 100413_120850DSC03297 100413_115855 






























O balão na borda da garrafa representa o músculo diafragma; o balão dentro da garrafa representa os pulmões e a garrafa funciona como a caixa torácica. Aos movimentos de puxar e empurrar o balão da borda correspondem o enchimento e o esvaziamento dos “pulmões”, respectivamente. É uma atividade que pode ser realizada depois de ministrado o conteúdo sobre o sistema, comparando-se o funcionamento do modelo com a fisiologia dos movimentos respiratórios.
O modelo do sistema urinário fica assim:
DSC03530      DSC03534
O exercício é uma ótima maneira de os alunos compreenderem os nomes e formas dos órgãos que compões o sistema urinário, bem como sua localização no corpo.
DSC03523   DSC03524DSC03525       DSC03527
DSC03528
Esta última atividade resultou num trabalho científico apresentado pelas bolsistas Fernanda Xavier, Paula Duarte e  Síntia Patrícia Silva no Encontro Nacional dos Estudantes de Ciências da Natureza (ENECINA) na USP-LESTE em São Paulo, em outubro de 2010, com o título “O SISTEMA URINÁRIO E A PROBLEMATIZAÇÃO COMO MEIO DE DESENVOLVIMENTO COGNITIVO NO ENSINO DE CIÊNCIAS”.
clip_image002

Entrevista: Carmélia Aparecida Silva Miranda

<KENOX S760  / Samsung S760>
A professora Carmélia Aparecida Silva Miranda da Universidade Estadual da Bahia- UNEB (Campus IV – Jacobina) e Doutora em História Social pela PUC-SP concedeu, em 01.08.2011, uma entrevista às bolsistas Keiliane, Greice e Luziane do PIBID/UNIVASF “Fazendo Ciência na docência”. A entrevista aconteceu na residência da pesquisadora, que falou sobre os motivos e interesses que a levaram a pesquisar sobre a história de Tijuaçú e seu reconhecimento como comunidade remanescente quilombola, localizada em Senhor do Bonfim/BA.
Ao longo da conversa ela falou sobre seus interesses e como aconteceu o trabalho, apontando os principais elementos da história através do relato oral da Comunidade.
Esta atividade faz parte do trabalho de levantamento da história e cultura que permeia a escola de Tijuaçú que redundará posteriormente nos ateliês contextualizados. 
 
Da esquerda para a direita: Greice, Keiliane, a professora Carmélia e Luziane.
Link dos artigos relacionados à professora Carmélia Miranda: http://www.uesb.br/anpuhba/artigos/anpuh_I/carmelia_aparecida_silva_miranda.pdf

Narrativas e contextos das comunidades remanescentes

pibid - Cópia (2)Em maio último teve início, para todos os envolvidos no PIBID/UNIVASF “Fazendo Ciência na docência: a popularização das ciências num contexto de diversidade social, cultural e educacional”, uma nova etapa do projeto. Trata-se de um trabalho de campo que objetiva conhecer e registrar a história, o contexto, o espaço físico e as narrativas orais da três comunidades onde se localizam as escolas participantes. As metodologias utilizadas são entrevistas, pesquisa bibliográfica, registro fotográfico e filmagens das personagens, ambientes e tradições encontradas em Tijuaçú, Missão do Sahy e no Alto da Maravilha. Reunidas as informações, o segundo passo será a apresentação dos achados às comunidades e contextualização dos conteúdos formais de Ciências das escolas municipais participantes do projeto nos ateliês de Ciências, com a construção de jogos, dramatizações, poemas, histórias, álbuns, experiências, cordéis, pinturas, painéis etc. Por fim, os bolsistas produziram artigos científicos sobre toda a prática, desde o momento do levantamento dos dados até a experiência dos ateliês contextualizados.

Cirandas do Conhecimento

Nos últimos meses de junho e julho, a equipe do PIBID/UNIVASF do subprojeto “Fazendo Ciência na docência – a popularização das ciências num contexto de diversidade social, cultural e educacional” esteve apresentando nas Cirandas do Conhecimento (evento, realizado em parceria com o Prodocência Construindo Saberes: articulando as práxis pedagógicas na sala de aula, que visa divulgar as atividades e produtos de cada sub-projeto PIBID/UNIVASF) realizadas em São Raimundo Nonato/PI (02 e 03 de junho) e Juazeiro/BA (08 e 09 de julho) alguns dos resultados dos trabalhos nas três escolas de Senhor do Bonfim/BA.  O estande do subprojeto contou com a participação dos bolsistas da Universidade e de um dos supervisores das escolas. Foram apresentados jogos didáticos, banners, fotografias, desenhos e modelagens produzidos pelos alunos nos ateliês de Ciências e expostos tanto para escolas locais, quanto para o público em geral, em praças públicas das cidades. A próxima Ciranda será em Senhor do Bonfim/BA, no mês de agosto.

Ciranda SRN1      Ciranda SRN 2

Ciranda de São Raimundo Nonato/PI

Ciranda Juazeiro 1      Ciranda Juazeiro 2

Ciranda Juazeiro 3      Ciranda Juazeiro 4

Ciranda Juazeiro 5      Ciranda Juazeiro 6

Cirandas de Juazeiro/BA

Atividade: camuflagem e defesa dos animais

pibid 001      pibid 002
pibid 003      pibid 009
Atividade para alunos do 7º ano
Objetivos 
Conhecer como os animais se camuflam na natureza para se proteger dos inimigos.
Conteúdos
Camuflagem – defesa
Material


  • Folhas coloridas

  • Durex

  • Tesoura Questões Problemas

  • Como os animais se defendem?

  • Como a camuflagem funciona?

  • Como os animais se adaptam aos ambientes?
  • Ateliês de Ciências

    DSC03429

    Os ateliês de Ciências são espaços de ludicidade, brincadeira e experimentação dos conteúdos formais de ciências desenvolvidos pelos bolsistas PIBID/UNIVASF juntamente como supervisores, contando com o apoio e a orientação da professora Leila Damiana, Coordenadora do subprojeto.

    O objetivo é envolver os alunos nas práticas didáticas, para desenvolverem o espírito científico e a curiosidade, bem como criar meios para o exercício pleno da cidadania em relação à natureza e à vida em sociedade, de forma consciente e crítica.

    Os ateliês acontecem durante o horário normal da aulas, uma vez a cada semana. Os grupos de bolsistas planejam as atividades a partir do plano de trabalho dos professores supervisores e desenvolvem-as  de acordo com as demandas de cada escola, além de levarem em conta a diversidade sociocultural e educacional.

    100413_120623         DSC03479

    PIBID/UNIFASF: Fazendo Ciência na Docência

    pibid

    Elevar a qualidade do ensino publico, contribuir para a formação inicial de futuros professores de Ciência Naturais, estreitar a relação escola-universidade e produzir conhecimento a partir da experiência dos professores em sala de aula: eis alguns dos objetivos do subprojeto "Fazendo ciência na docência: a popularização das ciências num contexto de diversidade social, cultural e educacional" da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), campus de Senhor do Bonfim/Ba, em parceria com a Secretaria de Educação e Esportes (Seme) da mesma cidade.